X

CADASTRE-SE
ENTRE PARA A FAMÍLIA DARK

Receba em primeira mão novidades e promoções e concorra a kits exclusivos.

A Bruxa Margaret +Brinde Exclusivo

A Bruxa Margaret +Brinde Exclusivo

Por: R$ 69,90ou X de

5% de Descontono boleto
Comprar
+ infos
> book preview
> book trailer
ANO DE PUBLICAÇÃO:
ISBN:
978-85-66636-69-7

“HAROLD SCHECHTER SOU EU NO ESPELHO”

ILANA CASOY, ESPECIALISTA EM SERIAL KILLERS NO BRASIL

Gênero
Não-Ficção
Páginas
400
Idioma
Português
Formato
14x21cm
Peso
280g
Acabamento
Capa Dura
Corte
Colorido

ENTRE NA MENTE DOS PSICOPATAS -

O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein.

SOBRE O AUTOR +

PERGUNTE E VEJA OPINIÕES DE QUEM JÁ COMPROU

CADASTRE-SE.
ENTRE PARA A FAMÍLIA

FIQUE POR DENTRO E RECEBA NOVIDADES, PROMOÇÕES, KITS EXCLUSIVOS EM PRIMEIRA MÃO.

Filtros

Filtrar PorPré-venda

Especificações de Produto

Pré-venda08/12/2020
SubtítuloEdição mágica com marcadores exclusivos
Edição
Publicação2020
TradutorAline Zouvi
AutorJim Broadbent e Dix
ISBN9786555980332
Frase de ImpactoA bruxa margaret é uma leitura poderosa que se abre a múltiplas interpretações, com espaço para diversas releituras. Para quem gosta de histórias em quadrinhos sombrias e literárias, Dix e Broadbent oferecem aqui um prato cheio.
Autor FraseGrovel
Título DescriçãoUma bruxa como você nunca viu
Sobre o AutorJim Broadbent é um ator britânico, vencedor do Oscar. Atuou na franquia de filmes do Harry Potter e na série televisiva Game Of Thrones, além de ser bastante reconhecido pelo seu talento nos palcos do teatro, encenando peças de Shakespeare. A Bruxa Margaret é sua primeira história em quadrinhos.

Dix é um quadrinista, chargista e pintor do Reino Unido, que publica sua série Roll Up! Roll Up! no jornal The Guardian. Na década de 1990, foi um dos fundadores da revista alternativa inglesa Purr. Em 2015, lançou Klaxon, em parceria com Si Spencer. A Bruxa Margaret é sua segunda graphic novel.

Detalhes do Produto

GêneroFicção
Páginas144
IdiomaPortuguês
Formato16 x 23
Peso390
AcabamentoCapa Dura
CorteSem Pintura

Review 1

Review Descrição 1“Sedutora e repugnante, esta fábula sombria que combina humor mordaz e emoções altamente envolventes, foi executada com perfeição pela paleta pálida e a sutil imprecisão dos traços de Dix.”
Review Autor 1Now Read This

Review 2

Review Descrição 2“Um encanto intenso filtrado por delírios febris.”
Review Autor 2The Beat
Existem muitas bruxas pintadas no imaginário coletivo e a personagem de A Bruxa Margaret, ao mesmo tempo em que faz parte dessa tradição, traz o seu próprio toque a esse universo.

A graphic novel surgiu a partir do interesse do ator e escritor Jim Broadbent (de Harry Potter e Game of Thrones) pela figura de Dulle Magriet, em um quadro de mesmo nome de Pieter Bruegel, o Velho, de 1536. Mas mesmo antes da pintura, já existia a lenda flamenga sobre Magriet (ou Margaret), uma mulher geralmente associada a demônios e feitiçaria.

A partir dessa inspiração, Broadbent e o desenhista britânico Dix desenvolvem uma história em que o caráter humano da personagem transcende o mito. Em A Bruxa Margaret pouco é definido, o que potencializa o estilo de desenho, enquanto as cores pálidas mostram que não se trata de um mundo de preto e branco, com rígidas definições de certo e errado.

Como boa história em quadrinhos que é, emprega os recursos visuais para narrar os eventos, ao mesmo tempo que o texto, ambíguo e dissonante, amplia as possibilidades de percepção do enredo.

Broadbent e Dix aprofundam a personagem ao mostrar seu discurso impreciso, suas ações erráticas, seu ambiente caótico. A bruxaria continua lá, mas Margaret muda o papel que desempenha nas lendas. Aqui, ela é uma humana, que mora em um lugar isolado e sombrio, e tenta sobreviver com a venda de enguias na feira. Tudo isso, é claro, com a manifestação da magia e do entendimento muito singular que Margaret tem sobre si mesma e realidade do mundo ao seu redor.

Aberto a diversas interpretações, A Bruxa Margaret é um livro que incentiva a releitura, não pela incompreensão de sua trama e sim por oferecer muito mais que apenas um lado da história.