X

CADASTRE-SE
ENTRE PARA A FAMÍLIA DARK

Receba em primeira mão novidades e promoções e concorra a kits exclusivos.

Elas em Legítima Defesa:

ELAS SOBREVIVERAM PARA CONTAR

Uma jornada de empatia e compreensão às mulheres vítimas de violência doméstica que foram obrigadas a matar seus companheiros para se defender dos abusos sofridos.

Em 2019, uma pesquisa divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com o Datafolha, relatou que no ano anterior 536 mulheres foram vítimas de agressão física por hora no Brasil. São 4,7 milhões de mulheres condenadas à violência doméstica, que proporciona memórias atrozes, origem de muito traumas, que, por sua vez, se convertem em silêncio.

Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar rompe esse padrão de silêncio na nossa sociedade e resgata a voz e a dignidade de mulheres que vivenciaram o verdadeiro horror – e sobreviveram para contar.

DENUNCIE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. DISQUE 180.DENUNCIE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. DISQUE 180.

O que você encontra no livro

Por que é importante ficar atento aos sinais de uma relação abusiva
Como o medo e a vergonha impedem que as vítimas procurem ajuda
A dura verdade das estatísticas de crimes contra as mulheres no Brasil
Como uma sociedade machista encobre e perpetua a violência contra a mulher
Uma poderosa reflexão sobre iniciativas que podem devolver voz e dignidade às sobreviventes de violência e abuso
De que modo podemos combater a desinformação e o preconceito que condena as vítimas ao silêncio
A importância de redes de apoio para o acolhimento de mulheres que sofrem as consequências de relacionamentos tóxicos
Leia o primeiro capítulo gratuitamente
Compre o E-Book agora mesmo:

Nos primeiros três meses a partir da data de lançamento do livro, 100% da verba arrecadada com a venda do e-book será destinada à ONG Amac (Associação de Mulheres com Atitude e Compromisso Social), de Duque de Caxias (RJ).

ELAS OUVIRAM ESTAS HISTÓRIAS

“Reunindo relatos dolorosos e corajosos de mulheres que mataram seus companheiros para não morrerem, o livro reivindica o direito à vida para milhares de outras mulheres que continuam sendo brutalmente assassinadas e caladas por uma sociedade perversamente misógina. Uma leitura para quem tem sede de justiça."

— ANA CECÍLIA COSTA, ATRIZ —

“O que dói mais, o peso do medo por uma condenação injusta, do julgamento alheio... ou o da culpa? Essas mulheres são sobreviventes e heroínas das próprias vidas.”

— BIANCA BIN, ATRIZ —

"Precisamos ouvir as vozes das mulheres que sofrem com a violência doméstica todos os dias. Em briga de marido e mulher se mete a colher, sim! Com este livro acessamos um pouco das vivências tão dolorosas de mulheres que, felizmente, sobreviveram para contar suas histórias.”

— MILENA SOUZA, @ENEVOADAA —

Assista ao trailer do documentário

Assista ao documentário completo: