Labirinto

Por: R$ 49,90

Preço a vista: R$ 49,90

5% de Descontono boleto
Comprar
+ infos
> book preview
> book trailer
MARCA:
ISBN:
978-85-66636-69-7

“HAROLD SCHECHTER SOU EU NO ESPELHO”

ILANA CASOY, ESPECIALISTA EM SERIAL KILLERS NO BRASIL

Gênero
Não-Ficção
Páginas
400
Idioma
Português
Formato
14x21cm
Peso
280g
Acabamento
Capa Dura
Corte
Colorido

ENTRE NA MENTE DOS PSICOPATAS -

O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein.

SOBRE O AUTOR +

O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move – e o que pode deter – assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates (Psicose, de Alfred Hitchcok), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica, de Tobe Hooper) e Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes, de Jonathan Demme). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? De onde vem tanta fúria? As respostas estão no livro da editora DarkSide® Books: SERIAL KILLERS: ANATOMIA DO MAL, dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Escrito por Harold Schechter – que pesquisa o tema há mais de três décadas e já publicou, inclusive, a biografia de Ed Gein, Deviant (1998) -, o livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia. Pontuado por curiosidades macabras, dados científicos e fatos pouco conhecidos sobre a trajetória dos principais criminosos em série dos Estados Unidos, SERIAL KILLERS: ANATOMIA DO MAL abrange desde a criação do termo serial killer no início do Século XX (conforme exibido na série MINDHUNTER, da Netflix) até o fascínio exercido por matadores seriais na cultura pop (cinema, música e literatura). Com clareza, ritmo e muita informação, Harold Schechter traça perfis psicológicos impressionantes de criminosos que desafiaram a polícia, viraram notícia e continuam a nos assombrar nas telas da TV e do cinema. Além de Ed Gein, a galeria de personagens sinistros inclui o cannibal Jeffrey Dahmer, que chegou a matar e devorar uma pessoa por semana no verão de 1991; a ex-prostituta Aillen Wuornos (inspiração para o filme Monster), que, depois de confessar seis assassinatos, pediu para ser condenada à morte para interromper a matança; o assassino Zodíaco (cuja verdadeira identidade é desconhecida até hoje); Charles Manson, o lunático que comandou o assassinato da atriz Sharon Tate em um ritual macabro; e Green River Killer, principal assassino de prostitutas da história, só capturado pela polícia com a ajuda de outro serial killer. Em SERIAL KILLERS: ANATOMIA DO MAL você vai descobrir como eles matam e por que matam. Por prazer, dor, amor ou desespero. Por conta de famílias disfuncionais e infâncias perturbadoras. Em nome do demônio ou para o jantar… Histórias reais, assassinos reais, de uma maneira que você nunca viu, estudados com profundidade, rigor científico e conhecimento psicológico. Um livro fundamental para quem se apaixonou por MINDHUNTER, CSI, Dexter, Criminal Minds e para quem acompanha o canal Discovery Investigation e quer entender o que se passa na mente dos assassinos mais temidos e cruéis de todos os tempos. Sem dúvida, oriundos de um sociedade que precisa repensar urgentemente como cicatrizar essas feridas abertas.

A linha editorial que ama a nona arte.

CADASTRE-SE.
ENTRE PARA A FAMÍLIA

FIQUE POR DENTRO E RECEBA NOVIDADES, PROMOÇÕES, KITS EXCLUSIVOS EM PRIMEIRA MÃO.

Especificações de Produto

SubtítuloTRINTA ANOS SEM PERDER A MAGIA
Edição
Publicação2016
AutorHENSON, JIM
ISBN9788594540096
Título DescriçãoTRINTA ANOS SEM PERDER A MAGIA
Sobre o AutorJIM HENSON não é a mamãe. Ele é o pai do Caco, o Sapo; da Miss Piggy; de Beto e Ênio; do Gonzo e do Urso Fozzie; de Garibaldo; de Dino e do Baby da Silva Sauro, entre inúmeros personagens que marcaram a infância de todas as muitas gerações nascidas nos últimos cinquenta anos. Contribuiu com George Lucas, fã assumido dos Muppets, no desenvolvimento do mestre Jedi Yoda. Roteirista, diretor, manipulador e dublador de fantoches, Jim Henson foi um artista completo, que o mundo teve a tristeza de perder em 16 de maio de 1990. Saiba mais em henson.com.A.C.H. Smith é um escritor e dramaturgo inglês. Sua obra inclui mais de doze romances e vinte peças teatrais. Smith se especializou na novelização de roteiros cinematográficos, entre eles as versões literárias de dois filmes de Jim Henson, Labirinto e O Cristal Encantado. Para adaptar Labirinto, A.C.H. Smith se divertiu bastante consultando o roteirista original do filme, o Monty Python Terry Jones, e incluiu no livro cenas cortadas do longa-metragem. Saiba mais em achsmith.co.uk.Por mais de 35 anos, Brian Froud tem sido considerado o preeminente artista e ilustrador de fantasia e uma autoridade em fadas. Seu best-seller internacional, Faeries, feito em parceria com Alan Lee, ilustrador das obras de Tolkien, é um clássico moderno. Seu trabalho marcante com Jim Henson como designer conceitual dos filmes O Cristal Encantado e Labirinto estabeleceu novos padrões para o design, o uso de marionetes e a animatrônica no cinema e são considerados marcos na evolução dos efeitos especiais.

Detalhes do Produto

GêneroFicção
Páginas272
IdiomaPortuguês
Formato14x21
Peso325
AcabamentoCapa Dura
CorteSem pintura

Vídeo e BookPreview

Vídeo
Book Preview
A DarkSide Books desenterra mais um clássico e traz o livro com a versão romanceada do cult movie de 1986, LABIRINTO. Dizer que Labirinto é o trabalho de um gênio não seria o suficiente para definir essa inesquecível história. O mais correto seria usar o adjetivo no plural: Labirinto, o filme, contou com um verdadeiro time de gênios. E se você pensa que estamos exagerando, que tal conferir sua ficha técnica?

DANCE, BABY, DANCE:

A história foi idealizada e dirigida por Jim Henson, o criador dos Muppets, Vila Sésamo e Família Dinossauro. Quem assinou o roteiro foi Terry Jones, um dos fundadores do revolucionário grupo de humor inglês Monty Python. George Lucas – ele mesmo! – coproduziu o longa-metragem. E no elenco, dois nomes de peso. A começar pela encantadora Jennifer Connelly, de Hulk, Rocketeer e Uma Mente Brilhante. Jennifer ainda era uma adolescente em Labirinto, mas já começava a brilhar após ter sido recém descoberta pelo mestre Sergio Leone, que a dirigiu na obra-prima Era Uma Vez Na América. Claro que o grande astro do filme foi o imortal David Bowie, em um dos seus papéis mais marcantes no cinema: o de Rei dos Duendes.

A história é aquela a que você deve ter assistido um milhão de vezes na Sessão da Tarde, a menos que tenha passado sua infância em Marte ou na Sibéria. E ainda assim, LABIRINTO, o livro, é capaz de lhe surpreender como se fosse a primeira vez.

A jovem Sarah não aguenta mais servir de babá para seu meio irmão, o pequeno Toby, e como brincadeira deseja que o bebê chorão desapareça. O que deveria ser apenas uma provocação acaba se tornando real como um pesadelo. O Rei dos Duendes atende prontamente ao seu pedido, e leva o menino para um universo paralelo configurado como um gigantesco labirinto.

Agora, Sarah precisa correr contra o tempo se quiser mesmo salvar seu irmão. Ela só tem até a meia-noite para impedir que Toby se transforme de vez em um duende. E, na verdade, Jareth tem outros planos para Sarah: ele está a procura de uma rainha para ficar ao seu lado e ser amada por todos na Cidade dos Duendes.

A edição da DarkSide é com aquele padrão de qualidade quase psicopata, do jeito que os fãs já estão acostumados desde o lançamento de Os Goonies, em 2012, o primeiro título da editora. LABIRINTO vem em capa dura, com o design inspirado no livro que a personagem de Jennifer Connelly lê no filme.

Atravesse novamente o Labirinto e se emocione com a narrativa fantástica de Jim Henson, transcrita para o papel nas mãos habilidosas do poeta e dramaturgo britânico, A.C.H. Smith. A edição apresenta ainda, pela primeira vez, as ilustrações dos duendes feitas por Brian Froud, que trabalhou no filme, além de trechos inéditos e nunca vistos com 50 páginas do diário de Henson, detalhando a concepção inicial de suas ideias para LABIRINTO, comemorando os 30 anos do filme em grande estilo.

Tradutora: Giovanna Louise Libralon

Similares